Image
Top

descrição  description

estrutura como gesto primordial

Se os Bares de Gaia podem ser vistos como protótipos, módulos que podem ser universalmente aplicados e combinados, então a Esplanada é a última peça deste kit.

O novo volume do bar Ar de Rio é essencialmente sobre a pele tornar-se estrutura. A nova extensão é uma moldura de aço definida por uma malha hexagonal transparente, encerrada com vidro, que permite a utilização do espaço durante todo o ano.

Através desse gesto extremamente simples, manteve-se o vocabulário formal dos Bares de Gaia e trabalharam-se as exigências de transparência e de versatilidade, entre espaço aberto e fechado – protegendo-o das mudanças de clima mas abrindo-o à brisa do rio em dias mais quentes.

A estrutura assegura um balanço de 27 m com réguas metálicas de 5 mm de espessura e 40 cm de altura, criando um padrão expressivo de favos de abelha, o que traz ao espaço interior um jogo constante entre luz e sombra enquanto origina no exterior um efeito óptico, entre transparência e opacidade.

O projecto procura um equilíbrio precário da leveza submetido à disciplina do desaparecimento. A estrutura surge como gesto primordial. À precisão, rigor e repetição da estrutura contrapõe-se as suas ilimitadas possibilidades expressivas.

 

Structure as primordial gesture

If the Gaia bars can be seen as prototypes, that can be universally applied and combined, then the esplanade is the last piece of this kit.

The new volume of the air of the river bar is essentially based on the skin, which is transformed into structure. The new extension is a steel frame defined by a transparent hexagonal mesh, enclosed with glass, which allows the use of the space throughout the year.

Through this extremely simple gesture, the formal vocabulary of the Gaia bars is maintained and the requirements of the transparency and versatility are developed, between open and closed spaces – protecting it from the changes in climate but opening it up to the breezes from the river on the hottest days.

The structure is light  with metallic elects of 27m, 5mm in thickness and 40cm in height, creating an expressive pattern of honeycomb cells, which brings to the inner space a constant play of light and shadow while an optical effect occurs externally, between transparency and opacity.

The project seeks a precarious balance of lightness subject to the discipline of the disappearance. The structure emerges as a primordial gesture. The precision, rigour, and repetition of the structure contrast’s with its unlimited expressive possibilities.

 

equipa  team

Projecto

2007

Construção

2008

Cliente

Ar de Rio

Localização

Avenida Diogo Leite, Vila Nova de Gaia, Portugal

Área

108m²

 

Arquitectura

Arquitectos

Francisco Vieira de Campos

Coordenação de Projecto

Francisco Vieira de Campos

Equipa de Projecto

António Ferreira, Luís Campos

Conceito Estrutural e Instalações Hidráulicas

Alípio Guedes

Instalações Eléctricas

Fernando Silva – OHM-E, Lda

 

Construtor

Dewpoint, Lda, Tegopi, SA

Design De Comunicação

Helena Nogueira

 

Fotografia

Fernando Guerra (FG+SG)

Project

2007

Construction

2008

Client

Ar de Rio

Location

Avenida Diogo Leite, Vila Nova de Gaia, Portugal

Area

108m²

 

Architecture

Architect

Francisco Vieira de Campos

Project Manager

Francisco Vieira de Campos

Project Team

António Ferreira, Luís Campos

Structural Conceptualization and Hydraulic Installations

Alípio Guedes

Electrical Installations

Fernando Silva – OHM-E, Lda

 

Constructor

Dewpoint, Lda, Tegopi, SA

Design Communication

Helena Nogueira

 

Photographs

Fernando Guerra (FG+SG)


.