Image
Top

descrição  description

Transparência
Situado na Ribeira do Porto, o Café do Cais faz parte da lógica dos elementos com carácter provisório que povoam a marginal do Douro, desde as barracas de comércio aos próprios barcos que ancoram no Cais.
A ideia de precariedade é acentuada pelo modo como o edifício está assente no chão: uma plataforma pré-fabricada de 40m x 10m solta-se do pavimento, delimitando e nivelando a intervenção.
Sobre esta plataforma, pousa o edifício, “um pavilhão” em vidro e ferro, que se afirma autónomo e abstracto.
Este pavilhão de vidro é interceptado a norte por duas caixas de ardósia, que contêm os serviços do bar e que pela sua dimensão, evocam as barracas envolventes.
Dada a sua grande extensão, procurou-se que o edifício desaparecesse, tirando-se partido dos efeitos do vidro: sua transparência e reflexos.
Em contraponto à forte carga histórica da envolvente, o edifício apresenta-se com a capacidade de omissão e de ausência – pelos materiais empregues e modo de utilizá-los. A estrutura é colocada de forma a soltar os cantos, fazendo-os desaparecer.
Visto de sul, o edifício como que desaparece completamente por detrás de um grande toldo, que camufla a laje de cobertura.
O carácter provisório desta construção – concebida para ter uma durabilidade de 5 anos – e a proximidade ao rio levou-nos a transpor para o projecto do deck, a linguagem do vocabulário náutico. As lógicas de afinação, as ferragens – manilhas, moitões, mosquetões, esticadores, cunhos e passadores – foram experimentados na construção dos toldos.

 

Transparency
Café do Cais sits on the right bank of the Douro river in the Ribeira district of Oporto, It pretend to continue the logic of those provisional elements – kiosks, market stalls on the street side and boats anchored, moored to in the quays – that are constant in this river neighbourhood.
The notion of precariousness is accentuated by the way the pavilion sits on the pavement: a raised pre-fabricated platform of 40x10m not only limits but levels the intervention with the pavilion also gently floating on it.
The building, a glass and steel pavilion, is protruded on its from the northern facade by two boxes, as autonomous as abstract – sits on this platform.
These boxes, with a slate facia finish, contain the service areas for the bar, evoking – by their dimension size – the neighbouring kiosks market stalls.
Given its size and the effects of transparency/ reflection allow the building to “disappear”, thus minimizing the size of the pavilion.
As a counterpoint to its strong environmental and historical weight context, the building allows for both omission and absence, like the materials and the way they are used, such as in the detailing of the corner situation that allow – once open – their “disappearance”.
Seen from the south the building almost fades away behind a large canvas canopy itself which hiding the roof slab.
The provisional character of this building and the proximity to the river made us use the nautical vocabulary theme on the system of canvas for the deck: masts, ironmongery, the logic of the trimming of sails were consistently tried in the construction of this canvas canopy.

 

equipa  team

Concurso

1ºPrémio

Projecto

Outubro 1993 – Abril 1994

Construção

Junho 1994 – Agosto 1994

Cliente

Animafoz, Lda – José Manuel Simões

Localização

Cais da Estiva, Ribeira, Porto, Portugal

Área

400m² (120m² área coberta; 280m² área descoberta)

 

Arquitectura

Arquitectos

Francisco Vieira de Campos + Cristina Guedes

Fundações e Estruturas

Luís Durão e Paulo Queiroz

 

Construtor

SPQ, Sociedade de Engenharia Lda

APDL e CRUARB

Promotor

APDL e CRUARB

 

Fotografia

Luís Ferreira Alves e Luís Palma

Competition

1ºPrize

Project

October 1993 – April 1994

Construction

June 1994 – August 1994

Client

Animafoz, Lda – José Manuel Simões

Location

Cais da Estiva, Ribeira, Porto, Portugal

Area

400m² (120m² covered area; 280m² open area)

 

Architecture

Architects

Francisco Vieira de Campos and Cristina Guedes

Foundations and Structures

Luís Durão e Paulo Queiroz

 

Constructor

SPQ, Sociedade de Engenharia Lda
APDL e CRUARB

Promotor

APDL e CRUARB

 

Photography

Luís Ferreira Alves e Luís Palma

.