Image
Top

descrição  description

Variação tranquila

O desenho do Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas mantém o carácter industrial do conjunto e tematiza o diálogo entre uma construção existente (antiga fábrica do álcool | tabaco) e novas construções (fábrica da cultura | produção de arte, reservas, sala multiusos | artes performativas, oficinas, laboratórios, estúdios-ateliers de artistas).

O projecto não exagera a diferença entre as antigas e as novas construções. Antes procura unir a diferente escala e a diferente idade das suas partes por meio de uma manipulação pictórica da forma e da materialidade dos edifícios – o existente marcado pela alvenaria aparente de pedra vulcânica e os novos edifícios marcados pela forma abstracta, sem referência ou alusão a nenhuma linguagem, construídos em betão aparente com inertes de basalto local com um trabalho altimétrico e textural das superfícies, complementando a relação cheio/vazio da massa do edifício com os vazios dos pátios.

O ACAC adquire a sua identidade pela variação tranquila entre o edifício existente – contenção e gesto mínimo na implantação estratégica dos canais de infra-estruturação, máxima eficácia na hierarquização espacial e funcional dos diferentes espaços do complexo fabril – e os dois edifícios novos que, por exigirem condições especiais não compatíveis com a preexistência, resolvem as funcionalidades pedidas.

O projecto compromete-se com a qualidade do existente, pondo em manifesto as variações tipológicas – os novos edifícios são colocados ao lado dos existentes de forma “serena” clarificando o que é existente num determinado período e o que se lhe acrescenta, sem ferir ou desvirtuar as estruturas espaciais e construtivas do conjunto. Contexto e contiguidade contribuem para a autonomia do objecto.

 

Quiet Variation

The design of Archipelago – Contemporary Arts Center – maintains the industrial character of the whole and highlights the dialogue between an existing building (former factory of alcohol / tobacco) and the new construction (arts and culture center, storage facilities,  multipurpose hall / performing arts, laboratories, artist studios).

The design does not exaggerate the differences between the old and the new buildings. On the contrary, it seeks to unite the different scales and times of its parts throughout a pictorial manipulation of the form and materiality of the buildings – the existing buildings demarked by the volcanic stone masonry and the new buildings characterized by an abstract form, without reference or allusion to any language, built in concrete with local basalt inert continuously working with the variation of surfaces, textures and rugosity, complementing the mass of the building with the emptiness of the patios.

The ACAC acquires its identity by the quiet variation between the preexistence and the two new buildings. The containment strategy of facilities implementation enhances the spatial efficiency and hierarchical functionality of the different areas of the existing factory complex. The new buildings absorb the required special functionalities that are not compatible with the spatiality of preexisting buildings.

The design is committed to the quality of what exists, showing the typological variations – new buildings are placed next to the existing ones in a serene manner – underlining the architectonical memory of a given period and the new addition, without damaging or subverting the spatial and constructive structures of the whole. Context and contiguity contribute to the autonomy of the object.

 

equipa  team

Concurso

2007 (1º prémio)

Projecto

2007-2010

Construção

2011- 2014

Cliente

Direcção Regional de Cultura dos Açores (DRaC)

Localização

Ribeira Grande, São Miguel, Açores, Portugal

Área

12.914 m² (9.736 m² edifícios + 3.178 m² espaços exteriores)

 

Arquitectura

Arquitectos

Consórcio Menos é Mais Arquitectos Associados, Lda. e João Mendes Ribeiro Arquitecto Lda.

Autores

Francisco Vieira de Campos, Cristina Guedes, João Mendes Ribeiro

Coordenadores de Projecto

Adalgisa Lopes e Jorge Teixeira Dias (fase de projecto), Inês Mesquita e Filipe Catarino (fase de obra)

Equipa de Projecto (Menos é Mais Arquitectos Associados, Lda)

Cristina Maximino, João Pontes, Luís Campos, Ana Leite Fernandes, Mariana Sendas, Pedro Costa, Inês Ferreira, João Fernandes

Equipa de Projecto (João Mendes Ribeiro Arquitecto, Lda)

Catarina Fortuna, Ana Cerqueira, Ana Rita Martins, António Ferreira da Silva, Cláudia Santos, Joana Figueiredo, João Branco

Tratamento de Imagem / Concurso

Diogo Laje, Óscar Ribas, Ricardo Cardoso (Estúdio Goma)

 

Engenharias

Fundações e Estruturas

Hipólito Sousa, Jerónimo Botelho, Pedro Pinto (SOPSEC,SA)

Instalações Hidráulicas

Diogo Leite, Filipe Freitas, Jorge Rocha (SOPSEC,SA)

Instalações Eléctricas

Raul Serafim, Hélder Ferreira (Raul Serafim & Associados, Lda)

Segurança

Maria da Luz Santiago (Raul Serafim & Associados, Lda)

Instalações Mecânicas

Raul Bessa, Ricardo Carreto (GET, Lda.)

Instalações de Gás

José Pinto (SOPSEC,SA)

 

Consultorias

Consultoria em Programação e Arquivo

Elisa Babo (Quaternaire), Miguel Von Haff Pérez, Marta Almeida

Consultoria em Conservação e Restauro

Gabriella Casella (Cariátides)

Consultoria em Acondicionamento Acústico

Rui Calejo, Eduarda Silva, Filomena Macedo (SOPSEC,SA)

Consultoria em Comportamento Térmico

André Apolinário (SOPSEC,SA)

Consultoria em Mecânica de Cena

João Aidos

Espaços Exteriores

Ana Barroco, Rui Figueiredo (Quaternaire)

 

Construtor

Consórcio Somague, Marques S.A. e Tecnovia.

Fiscalização

Pedro Câmara (Eng. Tavares Vieira, Lda.)

 

Maquetes

Menos é Mais Arquitectos Associados, Lda.

Fotografia

José Campos

Competition

2007 (1st prize)

Project

2007-2010

Construction

2011- 2014

Client

Regional Directorate of Culture (DRaC), Government of the Azores

Location

Ribeira Grande, São Miguel, Azores, Portugal

Area

12.914 m² (9.736 m² buildings + 3.178 m² exterior arrangement)

 

Architecture

Architects

Menos é Mais Arquitectos Associados, Lda., João Mendes Ribeiro Arquitecto Lda.

Authors

Francisco Vieira de Campos, Cristina Guedes, João Mendes Ribeiro

Project Manager

Adalgisa Lopes, Jorge Teixeira Dias(Project phase), Inês Mesquita and Filipe Catarino

Project Team (Menos é Mais Arquitectos Associados, Lda.)

Cristina Maximino, João Pontes, Luís Campos, Ana Leite Fernandes, Mariana Sendas, Pedro Costa, Inês Ferreira, João Fernandes

Project Team (João Mendes Ribeiro Arquitecto, Lda.)

Catarina Fortuna, Ana Cerqueira, Ana Rita Martins, António Ferreira da Silva, Cláudia Santos, Joana Figueiredo, João Branco

Image post-production/Competition

Diogo Laje, Óscar Ribas, Ricardo Cardoso (Estúdio Goma)

 

Engineering

Structural Engineer

Hipólito Sousa, Jerónimo Botelho, Pedro Pinto (SOPSEC,SA)

Hydraulic Installations

Diogo Leite, Filipe Freitas, Jorge Rocha (SOPSEC,SA)

Electrical Installations

Raul Serafim, Hélder Ferreira (Raul Serafim & Associados, Lda)

Security Measures and Fire Consulting

Maria da Luz Santiago (Raul Serafim & Associados, Lda)

Mechanical Installations

Raul Bessa, Ricardo Carreto (GET, Lda.)

Gas Installations

José Pinto (SOPSEC,SA)

 

Specialist / Consulting

Programming consulting

Elisa Babo (Quaternaire), Miguel Von Haff Pérez, Marta Almeida

Conservation and Restoration Consulting

Gabriella Casella (Cariátides)

Acoustic consulting

Rui Calejo, Eduarda Silva, Filomena Macedo (SOPSEC,SA)

Thermal consulting

André Apolinário (SOPSEC,SA)

Stage Mechanics Consulting

João Aidos

Landscaping

Ana Barroco, Rui Figueiredo (Quaternaire)

 

Constructor

Consórcio Somague, Marques S.A. e Tecnovia.

Supervising

Pedro Câmara (Eng. Tavares Vieira, Lda.)

 

Models

Menos é Mais Arquitectos Associados, Lda.

Photography

José Campos

.