condomínio na avenida marechal gomes da costa

porto

++

A ideia

- O valor do existente a preservação do lugar

O valor deste conjunto arbóreo reflete um percurso de vários anos de desenvolvimento cuidado, dedicado e bem orientado, dando origem a um património sem igual que entendemos dever ser a grande mais valia e oportunidade de valorização de qualquer intervenção a executar nesta propriedade. Foi efetuado o levantamento e caracterização do património arbóreo existente no jardim, sendo feita a classificação de todas as árvores existentes de acordo com o seu valor patrimonial (função da unicidade da espécie, desenvolvimento do exemplar e estado fitossanitário/ estrutura). Este levantamento e classificação de valor serviram de base ao estudo de implantação dos edifícios Assim, a forma e volumetria dos edifícios adapta-se ao património arbóreo existente e simultaneamente à melhor orientação solar. Desalinham-se os volumes das habitações conciliando estes dois propósitos. Os novos volumes estão afastados 5m dos limites laterais dos muros de meação, permitindo aberturas de vãos em todas as direções e grande flexibilidade tipológica. O projeto procura a máxima volumetria (cerca de 4000 m2), sem condicionar a vegetação arbórea a preservar.O cuidado em preservar este conjunto de vegetação, permitirá assegurar a proteção visual, beneficiando a privacidade das novas habitações. Ainda que em menor grau refere-se a proteção acústica que a vegetação desempenhará, assim como a proteção aos ventos dominantes de norte/nordeste.

- Hierarquização das áreas exteriores dentro do condomínio

Áreas exteriores coletivas estão distribuídas por um percurso dinâmico que atravessa o lote entre a avenida Marechal Gomes da Costa e a rua Tristão da Cunha assegurando o acesso às habitações e garagens. Estas áreas, definidas por pavimentos permeáveis, incorporam zonas de jardim com bancos que convidam à permanência. Estudou-se ainda a possibilidade de criação de áreas de jardim privado delimitadas por sebes para as habitações do piso térreo.

- Construção/Materialidade

Propõe-se uma imagem contemporânea, intemporal e positiva numa atmosfera que se pretende única e privilegiada. A materialidade dos edifícios conjuga os reflexos dos materiais vítreos; a solidez e massividade do betão estratificado com inertes de pedra local, o conforto da madeira nas áreas dos quartos. A dureza e resistência do polimento dos pavimentos nas zonas comuns têm influência no“terrazo” veneziano. No exterior propõe-se a reciclagem de pavimentos em lajeados de pedra e dos muros existentes tendo e conta a qualidade do seu aparelho e a memória de um lugar.

Projecto

2016

Localização

Avenida Marechal Gomes da Costa, Porto. Portugal

Área de Construção

4.124 m²

Arquitectos

Cristina Guedes e Francisco Vieira de Campos

Equipa de Projecto

Cristina Maximino, Inês Mesquita, Ricardo Medina, Francesco Bottaro, Martin Markl, Inês Marinho Batista

Arquitectura Paisagista

Atelier do Beco - Luís Guedes de Carvalho

Engenharias

Adão da Fonseca, Engenheiros Consultores - António Adão da Fonseca

+conteúdo