casa de ofir

braga

++

A implantação resulta das características do loteamento e da topografia. 

A casa desenvolve-se em dois níveis, de forma a melhor adaptar-se à sua morfologia. A pendente a nascente transforma-se em talude através de um muro de contenção de terras. Este muro/talude em xisto esconde o piso de quartos que fica enterrado e escavado como se de um esconderijo se tratasse. 

Na parte superior do terreno, e com vistas sobre o mar, situa-se a sala e a cozinha. Um plano oblíquo agarra-se ao solo a nascente e abre-se com grandes envidraçados no sentido do mar (poente), acentuando o carácter de construção a emergir do terreno. 

As paredes interiores são em betão armado, com excepção das paredes das zonas de águas (WC) que são revestidas a mármore. Todo o pavimento da casa é em soalho de madeira, com excepção dos quartos de banho que são em mármore. Portas e armários são em madeira envernizados. As caixilharias exteriores são executadas em madeira ou em aço inox. 

Toda a área exterior permanece com a cobertura vegetal existente. Só o percurso de acesso à habitação é construído e tratado como um pavimento pousado sobre o terreno que se prolonga na cobertura da sala com vistas sobre o mar.

Projecto

1996

Construção

1998-2003

Localização

Ofir, Braga, Portugal

Arquitectos

Cristina Guedes e José Fernando Gonçalves

Equipa de Projecto

Nuno Brandão e Alexandra Pires

Engenharia

Hipólito Sousa

Construtor

Oliveira Sampaio / Soares Barbosa

Fotografia

Alessandra Chemollo

casabella 719
+conteúdo